tijolices

Para ir sendo construído, disse eu no início. A obra acabou.

Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

quarta-feira, agosto 24, 2005

Cura


Sentes-te preso, queres liberdade
Vês-te solto, logo buscas prisão.
Na exuberância és vitalidade
No silêncio dizes mansidão.
Hoje quedo, amanhã activo,
Serás tu maníaco-depressivo?
Mas antes da psiquiatria
Tentarei curar-te eu
Pois nem a cardiologia
Te salva, coração meu.

(Setembro, 2004)

foto: www.thousandimages.com

13 Comments:

Blogger wind said...

Gostei do poema:) Beijos

24 agosto, 2005 10:31  
Blogger Anna^ said...

Esse coração anda assim um bocado pró insatisfeito...baloiça daqui...baloiça dali...ai que malandro ;)

Bjokas grandes e um bom dia ":o)

24 agosto, 2005 11:24  
Blogger lobices said...

...sensibilizado...:))***

24 agosto, 2005 12:10  
Blogger Fallen_Angel said...

lindo fogo msm lindo :O)

bjinho

24 agosto, 2005 13:37  
Anonymous Kitaro said...

Arrested heart searching freedom
and when free searching a new cage.
In the light you are alive
in the silence you are soft
Today crazy
Tomorrow alive again
Could you be a crazy one?
No... you are simply an heart of feelings; a soul of needs, a body of hope, full of nothings and empty of all the things you search
Go, be happy; catch the way you need, the way where you can find the love because this is the only thing that can make you be a smiller.

24 agosto, 2005 13:49  
Blogger Caracolinha said...

100 palavras ...

um beijinho na linda pessoa que tu és ... ~:o)

24 agosto, 2005 14:08  
Blogger Reporter said...

Há uma "outra cura" que tens ao teu alcance...
Tenta. Não custa nada.
Bj.

24 agosto, 2005 17:56  
Anonymous Anónimo said...

Mitsou,como eu te compreendo.

Beijinhos

Carlota Joaquina

24 agosto, 2005 18:53  
Anonymous Anónimo said...

Fui dentro da rosa que agora te enviaram.

24 agosto, 2005 19:50  
Anonymous  said...

Para ti querida prima um grande aplauso pelo lindissímo Blog que estás a construir. Estou sem palavras.... Não imaginas como me surpreendeste !!! chorei e ri contigo nestas últimas horas em que estive atentamente a "saborear" todos os teus registos, fotos e música.Parabéns pela linda pessoa que és e sempre foste. Sente um beijinho cheio de ternura e espero que gostes do poema que te mando. Jó

SÍSIFO

Recomeça....
Se puderes.
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar
E vendo,
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura.
Onde, com lucidez, te reconheças....

Miguel Torga

25 agosto, 2005 00:28  
Blogger António said...

Que lindo poema!
É de tua autoria?
Jinhos

25 agosto, 2005 23:48  
Blogger petrus said...

Ah! Grande poema! Grande e imensa realidade! Querida Mi que sabes sempre quem sou... Este queria eu ter escrito! FANTÁSTICO! E saberás porquê?...

Mil beijos...
Adoro-te!

30 agosto, 2005 08:30  
Blogger TMara said...

introspecção com ironia. Uma bela "mistura". Voltei. Bj grande e carinhoso

01 setembro, 2005 08:26  

Enviar um comentário

<< Home