tijolices

Para ir sendo construído, disse eu no início. A obra acabou.

Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

terça-feira, outubro 11, 2005

"Chanel"

Estranho. Estranho porque não costumava ser assim. Até nisso mudei, nesta mudança que me impus. Mas estranho-as. Por vezes não sei o que as provoca. Noutras sei perfeitamente. São lágrimas de saudade. Ainda. Lágrimas que me deixam constrangida, envergonhada. Salgam-me os olhos quando os vejo. Os cães e os gatos dos meus amigos. Correm mansas essas lágrimas. Como um rio sem margens nem foz, são já memória de imagens sem voz.

14 Comments:

Blogger TMara said...

os seres k amamos, humanos e outros, deixam smp em nós, um rasto k nos acompanha vida fora e, qnd menso esperamos a lembrança e a dor da perda atacam....Bjocas doces e luminosas, amiga

11 outubro, 2005 15:31  
Blogger lobices said...

...claro que sim
...deixa correr essas lágrimas
...um beijinho

11 outubro, 2005 15:41  
Blogger Caracolinha said...

Querida e doce amiga ... regressei agora de mais uns dias de férias e vim aqui, claro, porque te adoro e deliro com a maneira especial que tens de falar de tudo aquilo que amas ... esta música, a foto, as tus palavras já me deixaram de lágrima no olho ... que bom é podermos homenagear assim tudo aquilo que amamos, o importante é pensarmos que, quando se ama nunca se perde ... nunca perdemos nada nem ninguém porque aquilo que amamos passa a fazer parte integrante de nós ...

Que bom ter partilhado mais este momento especial contigo, são estas alturas que me fazem cada vez mais ficar feliz por nos termos cruzado.

Um beijinho cheio do carinho e da ternura que tu mereces. És um doce.

11 outubro, 2005 16:17  
Blogger Adryka said...

Então amiga que é feito de ti, faz tempo que nada sei de ti!
Beijinhos

11 outubro, 2005 17:16  
Anonymous Anónimo said...

Não estará na altura de adoptares outro/a amigo/a?
Pensa nisso. Como sabes, eu tenho 1 cadela e 5 gatos (em casa). Agora adoptei mais uma mãe gata e sua bébé que me apareceram no pátio - dei-lhes de comer, e....claro agora são hóspedes diárias. Gostaria muito de arranjar quem ficasse com elas.
São sem margem para dúvidas os nossos melhores e incondicionais AMIGOS.
Beijo grande.
Ana Maciel

11 outubro, 2005 17:26  
Anonymous Anónimo said...

olá Mitsou!
Venho só para te dizer que temos um PEPE,o gato preto da minha amiga,bem...a verdsde é que é para mim que vem sempre!
É uma bolinha de pêlo,ronrona que se farta...comprei-lhe um rato de guizo para ele bricar, o máximo.!!..agora tenho que ir...mas vou ter saudades dele...daqui a uns dias.
Adorei o teu post,sempre uma ternura!
Beijinhos
maria

11 outubro, 2005 18:37  
Blogger Raquel V. said...

Um beijo minha querida, querida Mi! Como te entendo...

11 outubro, 2005 19:16  
Blogger Anna^ said...

Palavras para quê???

Um beijinho cheio de ternura :*

fica bem ":o)

11 outubro, 2005 19:59  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

E porque não outro bichinho? Há tantos aí a precisar de donas carinhosas :)

Bjs

11 outubro, 2005 21:14  
Blogger Mocho Falante said...

Nada de lágrimas de vergonha...deixa esse rio da alma correr livremente e vais ver que a sensação da saudade acaba por te desenhar um sorriso nos lábios

11 outubro, 2005 23:56  
Blogger Pólux said...

Poema do gato

Quem há-de abrir a porta ao gato
quando eu morrer?

Sempre que pode
foge prá rua,
cheira o passeio
e volta pra trás,
mas ao defrontar-se com a porta fechada
(pobre do gato!)
mia com raiva
desesperada.
Deixo-o sofrer
que o sofrimento tem sua paga,
e ele bem sabe.

Quando abro a porta corre pra mim
como acorre a mulher aos braços do amante.
Pego-lhe ao colo e acaricio-o
num gesto lento,
vagarosamente,
do alto da cabeça até ao fim da cauda.
Ele olha-me e sorri, com os bigodes eróticos,
olhos semi-cerrados, em êxtase,
ronronando.
Repito a festa,
vagarosamente.
do alto da cabeça até ao fim da cauda.
Ele aperta as maxilas,
cerra os olhos,
abre as narinas.
e rosna.
Rosna, deliquescente,
abraça-me
e adormece.

Eu não tenho gato, mas se o tivesse
quem lhe abriria a porta quando eu morresse?


(António Gedeão)


Um beijo.
=====

P.S.: Mitsou, face à dificuldade e morosidade na abertura das músicas do CastPost, enviei-lhes um e-mail. Eis a resposta:



We apologize for the delays. We have been growing very rapidly and some of our servers are experiencing slowness (and it appears that your media blog is on one of the slow servers). We are working on adding new servers and the situation should improve shortly.
Thank you for your patience.
- Alex
Castpost Support

12 outubro, 2005 01:08  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Mitsou
Mudanças com as quais te sentes melhor contigo própria, sinal de evolução positiva, logo maior comunão com o mundo natural, em que se inclui o humano... tudo bom nesse caminho da alma, descobrindo novos significados (post seguinte :))
Um beijo
Daniel

12 outubro, 2005 11:17  
Blogger Menina_marota said...

Que bom assim pensares...
Adorei ler esses teus afectos que tão bem percebo!!

Um abraço carinhoso, minha amiga de sorriso doce ;)

12 outubro, 2005 22:41  
Blogger lena said...

e voltei, para ler a sensibilidade com que escreves, e compreendo-te , és uma ternura
essas lágrimas correm de saudade
um beijo meu

lena

12 outubro, 2005 23:26  

Enviar um comentário

<< Home