tijolices

Para ir sendo construído, disse eu no início. A obra acabou.

Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

quinta-feira, outubro 27, 2005

A fidelidade dos "traidores"

Cansaço. Físico e mental. Olho em volta e só vejo livros. Páginas cheias de linhas. Linhas de palavras. Que alguém escreveu para que alguém as lesse. Aguardam, quietas, silenciosas, cientes da sua importância. Também tenho a cabeça cheia de palavras. Que escrevo porque já alguém as escreveu. Não estão quietas, essas. Exigem atenção, labor, inspiração. Querem que as escreva exactas, certas, fiéis às originais. Por vezes, há uma que se esconde, teima em não responder à chamada. Angústia passageira de quem sabe que acabará por desentocá-la. E as linhas sucedem-se, as frases encadeiam-se, o texto vai ganhando forma e volume. Ora denso em descrições pormenorizadas, ora fluido na aparente facilidade dos diálogos. E a “obra” avança. Mais umas quantas páginas feitas. É assim a vida de um tradutor. Cheia de palavras, escolhas, dúvidas, opções, medos; cheia de alegrias, também. Finalmente a revisão, o prazo de entrega está próximo, vai cumprir-se, tem de cumprir-se. Entretanto, já o olhar se divide entre a leitura dessas palavras que ele tão bem conhece e a de outras que agora lhe aguçam a curiosidade, novas, impacientes, orgulhosamente envoltas numa capa dura de lombada intacta. E tudo recomeça…

40 Comments:

Blogger andorinha said...

Existe o cansaço mas também a gratificação por mais um tijolo que está pronto.
Admiro imenso o teu trabalho, como sabes.
Beijinho doce.:)

27 outubro, 2005 01:33  
Blogger lobices said...

...um olhar atento
...um olhar sereno
...em volta das palavras
...envolta em palavras
...a tua angústia se move
...a ansiedade sobe
...e de palavra em palavra
...a obra nasce
...e um sorriso se abre
...por mais uma missão cumprida
...na senda daquela que se segue
...um abraço te dou
...com um voto de sucesso
beijinho

27 outubro, 2005 10:13  
Blogger IO said...

À tradutora, o meu obrigada, sempre. A quem escreveu este texto, faço questão de dizer que gostei - um beijo, IO.

27 outubro, 2005 12:17  
Anonymous Anónimo said...

Olá Mitsou querida .Adorei o teu texto.Eu gosto muito de ler ,um livro é uma janela pela qual nos evadimos .

Beijinhos e um bom feriado

Carlota Joaquina

27 outubro, 2005 13:42  
Blogger silencebox said...

Adorei o texto! Fiquei agora a pensar: qual é o livro que estás a traduzir? Pois, gostava ler um livro com a tua tradução... Sinto que és uma excelente e fiel tradutora que merece toda a atenção e reconhecimento.

Um gde abraço :-)*

27 outubro, 2005 18:50  
Blogger Alexandre Sousa said...

Menina, no recomeçar é que está a quentura do sol. Simples sinal da existência de uma amanhã

27 outubro, 2005 19:26  
Blogger Sextosentido said...

:*

27 outubro, 2005 20:58  
Blogger wind said...

Descreveste de uma maneira extremamente poética o teu difícil trabalho:) beijos

27 outubro, 2005 21:51  
Blogger Buddha Breezer said...

Sempre senti grande fascinio por quem traduz as obras, são os primeiros a tocar nas palavras originais, são uma espécie de porta voz do autor da obra, e depois, depois é a alegria de ler imensas obras que na sua versão original pedem que as traduzas para que muitos mais possam ter o privilégio da maravilha que é a leitura

Bem haja

27 outubro, 2005 23:04  
Anonymous Anónimo said...

Ao som desta belíssima melodia e após a leitura do teu texto, resta-me, neste fim de dia, e com a convicção de que o teu trabalho faz feliz muita gente, desejar-te uma noite de paz e que os Anjos te protejam.
Um beijo.

27 outubro, 2005 23:50  
Blogger Madalena said...

Obrigada Cinda. Vir aqui vale a pena porque as tuas palavras são lindas e te representam. Um beijo muito grande!

28 outubro, 2005 00:04  
Blogger Pólux said...

Palavras sempre bem-vindas, Mitsou. Como as do "jardim" plantado n'"A Baía dos Anjos".
Gostei muito do livro. Que Deus proteja a Zoë Cunningham, a Anita Brookner, e a ti também.

Beijinho.

28 outubro, 2005 02:16  
Blogger JMTeles da Silva said...

Tu és o Tio Patinhas dos livros. Não te afogues nesse banho de páginas.
Bjokas grandes.

28 outubro, 2005 11:08  
Blogger IsaMar said...

mas que excelente texto. Mostra cansaço, beleza no trabalho, mostra desejo, mostra dedicação. Enfim, adorei ler-te.

28 outubro, 2005 11:38  
Blogger Mocho Falante said...

o que eu gostava de ter a capacidade de dominar um idioma de tal forma que desse para traduzir livros que é algo que tanto adoro.

Mas fico cá desconfiado que às vezes até te enjoas de olhar para eles. E qual será a sensação de ir a uma livraria e saber que o livro x foi por ti traduzido???

Beijocas de bom fim de semana

28 outubro, 2005 13:36  
Blogger António said...

São esses os tijolos que tens de transportar!
Há outros bem mais mais pesados.
Penso que te podes dar por feliz!

Beijinhos

28 outubro, 2005 14:04  
Blogger augustoM said...

Traduzir um texto é dar-lhe vida, torná-lo importante, daí a importância da tradução, uma espécie de ressuscitar o que parece estar morto porque ninguém o entende.
Um beijo. Augusto

28 outubro, 2005 14:10  
Blogger mentecalma said...

Li-te longamente com muita atenção. Sei do que falas, do que escreves, do que sentes; sei que ainda sou muito nova nessas andanças mas o meu mundo também está nas letras, nas palavras.
"Ouvi" na minha visita pela blogosfera (depois de uma longa ausência motivada por motivos de ordem profissional) muita gente falar bem de ti; vim-te "ver" e tentar conhecer melhor.
Gostei de ti porque senti que és uma mulher forte.
Continua.
Beijinhos.

28 outubro, 2005 14:10  
Blogger Estrela do mar said...

...venho-te convidar para apareceres na inauguração do meu outro blog...


www.espelhodealma.blogspot.com


Beijinhos e tem um bfs.

28 outubro, 2005 16:19  
Blogger smartins said...

Excelente texto! Parabéns!
Força na tradução. jinhos

28 outubro, 2005 17:45  
Blogger Anna^ said...

A isto chamo entrega e dedicação....ao trabalho...aos "teus" tijolos :)

Um beijinho grande Mitsou e um bom fds ":o) Obrigada pelo mimo :)

28 outubro, 2005 18:02  
Anonymous Ni said...

Belo texto que espelha o teu amor e dedicação aos teus "tijolos".Beijinhos e Bom fim de semana.

28 outubro, 2005 19:50  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Mitsou
Quando fazemos algo que nos realiza, a satisfação do dever cumprido é algo de maravilhoso e sente-se isso em ti.
Um beijo
Daniel

28 outubro, 2005 21:33  
Blogger Pamina said...

Gostei muito do teu texto e concordo com os outros comentadores. Conseguiste capturar a essência do trabalho do tradutor, até mesmo nesse "here we go again..." que se repete de cada vez.
Bom fds.
Um grande beijinho.

28 outubro, 2005 22:19  
Anonymous Anónimo said...

Um beijinho e um voto de uma noite de paz para a "Tradittora"

28 outubro, 2005 23:05  
Blogger luis manuel said...

Desde as folhas de Outono,
passando pelos desejos de bom fim de semana;
pelo brinde ao dia que acredito terá sido especial;
pelas janelas;
e pela construção tijolo a tijolo, de algo que certamente agradará a quem por si nutre admiração e simpatia.
Até agora, nada tinha escrito.
Guardado na estante das pastas de arquivo, o endereço foi-me levando á visita obrigatória.
Obrigado pela dedicação
E bom recomeço !

29 outubro, 2005 01:53  
Blogger lazuli said...

Esse eterno recomeço das palavras em que tocas pela primeira vez, em que as tacteias, em que vais ao encontro delas, numa descoberta fascinante.Imagino que te canses muitas vezes mas é ..ou deve ser..bastante compensador sentir que estás afinal a criar uma obra, que contribuiste para que muitos olhos a leiam. Muitos beijos, Mit*

29 outubro, 2005 03:32  
Blogger TMara said...

Às vezes não parece mas perdemo-nos. Nas coisas, nas tarefas, nos pensamentos, no rolar descontrolado das horas...perdi-me sem me perder.perdi o tempo. És uma pesoa especial e estou segura k o teu dia o foi tmb. Tão bem k descreves esta tua certeira arte de tapçaria a partir das palavras de outrém...Boa finalização do W. Bj grande e saudoso e os melhores votos, amiga.Bom f.s

29 outubro, 2005 10:22  
Blogger lena said...

livros, bons companheiros, palavras lindas silênciosas que aqui nos deixas
claro que o prazo se vai cumprir e quanto eu gostaria de ler um livtro traduzido por ti, tens força mas palavras

bom fim de semana

e um beijo meu

lena

29 outubro, 2005 12:58  
Blogger Caiê said...

Percebo bem, linda, já fiz esse teu trabalho algumas vezes na vida... é duro.

beijinhos e marraditas!

30 outubro, 2005 00:16  
Blogger agua_quente said...

Descreves um trabalho duro mas, certamente, gratificante. Afinal na obra que sai há um bocadinho teu! :)
Tem um bom domingo. Beijos

30 outubro, 2005 11:37  
Blogger lique said...

Entende-se o teu cansaço. Mas também te deve dar prazer acabar um trabalho.
Um beijo grande um bom domingo

30 outubro, 2005 11:46  
Anonymous Anónimo said...

Conheço muito bem e de perto a função de um tradutor. Não é só a necessidade de traduzir literalmente o qu está no original; é preciso dar-lhe um "toque" pessoal, ou seja, dar-lhe o mesmo sentido na língua para a qual é traduzida a obra.
Este é o "cerne" da questão e é aqui que um tradutor se revela como "autor". Quando consegue dar à obra que traduz o cunho não só pessoal mas autêntico da língua para que foi traduzida e do sentir do leitor, então aí sim, ele o tradutor atinge o pleno.
As suas traduções são um exemplo de profissionalismo e de autenticidade.
Os meus sinceros parabéns e a minha singela homenagem ao reconhecer publicamente o seu trabalho.

30 outubro, 2005 13:42  
Blogger MF said...

Diga-me que estou meio envergonhado:
Quem escreve assim e tem um blog como você tem, para que é que Deus lhe deu esse sorriso?
Aos outros, ele foi generoso só na inveja.
Posso fazer um convite?
Antes que responda passe no meu modesto http://homem-ao-mar.blogspot.com
Abraço!

30 outubro, 2005 21:56  
Anonymous Anónimo said...

Deus dá sorrisos "destes" a quem os merece. E ela merece de certeza.
Beijinho.

30 outubro, 2005 23:26  
Blogger FataMorgana said...

Querida Cinda,
tenho a certeza que as palavras combatem entre si para serem escolhidas!
Sabes, eu tenho muito orgulho em ti, pela marca de excelência que deixas nas traduções que fazes. Mas principalmente por seres uma pessoa tão completa :)
Estás no meu coração, para sempre, Mana.

Um grande beijinho cheio de saudades!

31 outubro, 2005 00:35  
Blogger NightWolf said...

Acredito que seja um trabalho deveras cansativo mas no fim deve ser muito gratificante ter mais um livro traduzido por ti, beijinhos

31 outubro, 2005 10:22  
Blogger Raquel V. said...

Deliciosa imagem... Penso que te recordas de um dia te ter dito que por vezes ficava a pensar como seria... como um tradutor faria para que não se perdessem as palavras mágicas de um autor. E aqui estás tu, descrevendo o que nunca pensei em vão, o que muitos não imaginam que existe entre um original e o que nos chega às mãos!
Gosto muito de ti! Um beijo minha querida Mi!

31 outubro, 2005 18:24  
Blogger Pólux said...

Gostei de ler.

Não as deixes dormir, Mitsou! E se elas adormecerem (as palavras), bastará um “toc! toc! toc!” na sua porta, e de imediato acordarão e assomarão ao umbral e colocar-se-ão ao teu inteiro dispor e acompanhar-te-ão, na quietude da noite e do silêncio, que é a hora em que mais gostam de ser despertadas.
Beijinho.

01 novembro, 2005 23:45  
Anonymous Anónimo said...

Gostei!

03 novembro, 2005 23:33  

Enviar um comentário

<< Home